Habilidades socioemocionais devem ir além dos muros da escola

Habilidades socioemocionais devem ir além dos muros da escola

Aprendizado realmente acontece quando a criança ou adolescente consegue aplicá-lo em situações do cotidiano; férias é bom momento para isso

Em programas de aprendizagem socioemocional, as crianças e os adolescentes adquirem várias habilidades, que envolvem gerenciar as próprias emoções, conseguir se colocar no lugar do outro e avaliar as situações e as consequências das ações ao fazer uma escolha.

“Porém, uma aula expositiva, em que o professor simplesmente discute o que é empatia, autocontrole ou decisões responsáveis, não costuma ter efeito muito duradouro no comportamento de um jovem”, diz Eduardo Calbucci, professor e um dos autores do Programa Semente.

Para ele, esse aprendizado acontece de forma mais efetiva quando a criança ou o adolescente faz algo que lhe permite realmente enxergar como isso pode ser aplicado no seu dia a dia. “É por isso que, em geral, no Programa Semente, a gente sempre tem uma atividade para casa em que o aluno é convidado a refletir sobre o seu cotidiano e como ele pode colocar em prática aqueles conhecimentos. É um aprendizado ativo”.

Aprendizagem socioemocional durante as férias escolares

Segundo Calbucci, mesmo depois das aulas, quando os estudantes vão para casa, seria importante que eles continuassem num estado de vigilância para aplicar esses conhecimentos. Um exemplo é o controle de raiva. “Falar sobre controle de raiva e ensinar técnicas de autorregulação emocional são fundamentais. Mas também é necessário que a criança ou adolescente, no momento em que tem esse impulso, seja capaz de regulá-lo”, afirma o professor. “E isso pode acontecer nas férias escolares”.

De acordo com o educador, levar esses aprendizados para fora da escola, de alguma forma, é parte essencial do processo de aquisição de competências socioemocionais.

“É muito importante que esse conhecimento ultrapasse os muros da escola, porque o impacto mais duradouro vai ser na vida pessoal, acadêmica e profissional do aluno”, conclui o professor.

 

 

 

 

 

2019-12-18T11:13:07+00:00 Semente na Escola|